05/06/2012

Lixo jornalístico

Depois da tinta que o caso fez correr na semana passada (ver amostra neste blogue), o que a jornalista (?) Rosa Ramos aqui escreve é lixo tóxico, com demasiadas imprecisões para ser aceitável:
  • O caso NÃO "recua a 1986".
  • Quais foram os "novos casos de reacções adversas"? Reacções adversas a quê?
  • No 4.º parágrafo fala de 5027 "crianças envolvidas"; no 5.º reduz para 500.
  • Fala de "administração do mercúrio" sem explicar que é isso que todos recebemos se tivermos uma restauração com amálgama.

Sem comentários:

Publicar um comentário